quarta-feira, 29 de novembro de 2017

“DEI ALTA A 11”

Alegra-me comunicar-vos que “dei alta” a 11 (onze) dos nossos doentes. O número é pequenino, mas podem crer que tem muito significado, porque é extremamente difícil curar/sarar as úlceras dos leprosos. O primeiro a quem consegui curar duas perfurantes plantares (úlceras na planta do pé, muito profundas) encheu-me de um grande orgulho, porque eu nunca acreditei que fosse possível… É certo que estes 11, de vez em quando têm uma mazela ou outra, que precisam de ser “vigiados” (especialmente os olhos precisam de manutenção regular). É certo também que a estação húmida favorece um pouco os doentes – no tempo seco, devido à falta de hidratação da pele, as gretas, as infecções e as úlceras são mais fáceis de acontecer. Mas, se fiquei mais “leve” de trabalho – embora continue com outros doentes difíceis e renitentes, por outro lado fiquei sobrecarregada de trabalho infantil. (…)

Ana Maria (Voluntária da APARF ao serviço dos Leprosos)

A Ana Maria a cuidar dos doentes

Sem comentários:

Enviar um comentário