sábado, 14 de abril de 2018

Mecubúri: Pastoral – Catequese, Jovens, Saúde e Comunidades

Quando cheguei a Mecubúri, como as Irmãs já sabiam que eu era Catequista, membro do Movimento de Jovens Shalom e empenhada a nível paroquial, os primeiros trabalhos que fiz foram logo na pastoral. Comecei, como já referi, a ajudar a Ir. Assunção nos Cursos de Catequistas. Depois foi-me confiado o grupo de Meninas Baptizadas do nosso Lar para eu lhes dar Catequese.

Em seguida formei equipa com a Ir. Sandra para trabalharmos na Pastoral Juvenil. Organizámos cinco encontros de Jovens sobre os temas de cada ano (2003 - Eis a Tua Mãe, 2004 - Queremos ver Jesus), e realizámos três peregrinações juvenis onde subíamos uma das montanhas rochosas perto do centro da Vila. Em 2003 fizemos duas Peregrinações Marianas, uma em Maio (Mês de Maria) rezando pelo caminho os mistérios Gozosos, outra em Agosto (Mês da Padroeira da Paróquia - Nª Sª da Assunção) rezando e representando os novos mistérios propostos pelo Papa – Mistérios Luminosos. Em 2004 fizemos uma Peregrinação Quaresmal no primeiro Sábado da Quaresma, foi uma Via Sacra Jovem representada e meditada. Em cada peregrinação participaram entre 50 a 70 jovens.

Estive também a promover a Pastoral da Saúde, em Equipa com a Ir. Cristina, Enfermeira de Saúde Materno-Infantil. Realizámos três Encontros com os Responsáveis Paroquiais da Saúde onde ensinámos e incentivámos diversas formas de melhorar a saúde, através de uma boa higiene, alimentação adequada, recurso atempado aos Postos de Saúde, etc. Falámos sobre os problemas de Saúde de cada Zona e da Paróquia em geral, procurando a melhor resolução para cada um. Aconselhámos e incentivámos ao acolhimento do doente e à oração por ele e com ele, sempre numa perspectiva cristã. Promovemos também a Comemoração do Dia Mundial do Doente (11 de Fevereiro) com Celebração de Eucaristia no Centro de Saúde de Mecubúri, debaixo de uma mangueira, e celebrações em todas as comunidades cristãs que a pudessem realizar.

Eu e a Ir. Cristina participámos ainda na Semana de Estudos sobre Pastoral da Saúde, no Anchilo, onde aprendemos novos conceitos sobre Pastoral da Saúde, a sua prevalência em relação à Pastoral do Doente, e aprendemos novas formas de acolher e consolar os doentes.

Aos Domingos íamos à Celebração da Palavra nas Comunidades. A equipa missionária abrange duas Paróquias – Mecubúri e Muite – que corresponde a todo o Distrito, e tem ao todo mais de 200 comunidades. Então para podermos visitar mais comunidades ao mesmo tempo escolhíamos uma zona e íamos ficando pelo caminho. Por exemplo, uma vez estivemos em 6 comunidades no mesmo dia, duas comunidades do centro da vila, onde estiveram duas Irmãs, e 4 comunidades distantes: na primeira saiu o Pe. Muririua, na segunda eu, na terceira o Pe. Constantino, na quarta a Ir. Assunção que levava o carro. Nas Comunidades onde vão os Padres há Eucaristia, onde ia eu ou as Irmãs há apenas Celebração da Palavra e embora lá todos possam falar na Partilha da Palavra (homilia) se nós estávamos tínhamos que partilhar também e aproveitávamos para dar alguns conselhos e alguma catequese.

A Pastoral lá não é fácil de fazer, devido à distância, ao analfabetismo, à mistura dos valores cristãos com os tradicionais, às crenças nos feiticeiros e na força dos antepassados, etc. Mas é muito mais agradável. Lá, as pessoas têm sede de Deus e a simplicidade com que vivem torna as Comunidades mais vivas, activas e participadas: qualquer pessoa pode partilhar o que ouviu das leituras ou pode fazer uma prece na Oração dos Fiéis. Nos tempos festivos as celebrações são bem animadas pela música e pela dança. No ofertório cada um pode trazer aquilo que produziu na sua machamba (terreno onde se cultiva tudo o que é necessário, ou o que se pode). Uma celebração pode chegar a demorar 3 horas sem nos cansarmos de participar nela.





Sem comentários:

Enviar um comentário